+351 256 890 210

8

Set, 2014

Passeio de Idosos 2014

Por: | Tags: | Comentários: 0

Realizou-se no passado de 5 de Setembro, o já tradicional passeio anual dos idosos da Vila de Cucujães a um qualquer lugar deste nosso Portugal.

A escolha desta vez recaiu na cidade de Meda, distrito da Guarda e agradou á maioria das pessoas que o realizaram.

A Câmara Municipal de Meda foi de uma grande cordialidade para com os cucujanenses que nesse dia rumaram até essa cidade do interior e seu presidente Lopes Anselmo, na sua intervenção, fez questão de manifestar os seu agrado por tantas pessoas animarem o seu concelho, tantas vezes esquecido devido à sua condição de terra do interior.

Por sua vez a vereadora Gracinda Leal, em nome da Câmara Municipal de Oliveira Azeméis e em representação do presidente Hermínio Loureiro, que não esteve presente, segundo ela, (por nessa ocasião estar a caminho de Lisboa, para ser recebido pela Ministra da Justiça), afirmou da sua satisfação pela forma como foram recebidos.

Simão Godinho, presidente da Junta de Freguesia de Cucujães, reforçou as palavras da vereadora Gracinda Leal e em conversa informal com autarca local, deu conta das potencialidades da sua freguesia, com cerca de 12000 habitantes.

Antes, e com a boa vontade do pároco local Pª Basílio, foi rezada missa na Igreja Matriz de Meda pelo Pª Artur pároco da Vila de Cucujães, tendo o templo repleto de cucujanenses.

Entre os 650 idosos (alguns nem tanto) que se deslocaram ao passeio a Meda, realce para os utentes da Fundação Manuel Brandão e Lar de Santa Teresinha, que foram bem apoiados pela Cruz Vermelha de Cucujães.

Um dos mais idosos, Manuel Correia, do lugar do Picoto e a escassos messes de completar 90 anos, deu conta ao repórter da sua satisfação de poder participar neste passeio e puxou pelas suas memórias e falou da sua vida de antigo sapateiro e recordou com afecto o seu primeiro patrão, Domingos Ferreira, fundador da fábrica de calçado Hércules, onde trabalhou muitos anos. Era em Faria de Cima frisou o quase nonagenário Manuel Correia.

Texto de Valter Santos